Want to keep in the loop on the latest happenings at Beit Lubavitch Rio De Janeiro. Subscribe to our mailing list below. We'll send you information that is fresh, relevant, and important to you and our local community.
Impresso de BeitLubavitchRio.org
ב"ה

Qual é a participação de D'us no meu dia-a-dia?

Quinta-feira, 04 Junho, 2015 - 23:51

 day2day.jpg

Qual é a participação de D'us no meu dia-a-dia?

Publicado em 16 de maio de 2014 pelo Rabino Manis Friedman

Lembro-me de uma determinada tarde, há alguns anos, no início dos anos 1960, quando trinta cientistas judeus de várias universidades do Leste participaram de uma das reuniões (chamadas farbrenguens), encontros na tarde de shabat com o Rebe. Os cientistas sentaram-se entre os chassidim e escutaram enquanto o Rebe falou em iídiche, que eles não entendiam. Durante o intervalo para cantar, um dos chassidim deu-lhes uma sinopse em inglês do que o Rebe disse. Mesmo em inglês, não significava muito para eles.

Quando o Rebe retomou o discurso, ele dedicou a próxima parte de sua palestra para os visitantes, e pelos próximos 40 minutos, ele descreveu a visão chassídica mística do universo. Durante o próximo intervalo, o chassid novamente traduziu as palavras do Rebe. "O Rebe disse que toda a matéria é o comportamento, e nós podemos ver esse comportamento observando a natureza de perto".

"Ele realmente disse isso?", perguntou um cientista. "A Física também define a natureza como "padrões de comportamento observável." Os cientistas que tinham vindo como observadores curiosos começaram a se perguntar se o místico e o físico são compatíveis, afinal de contas. Certamente, no mundo do Rebe, os dois são um. Claro, existem diferenças significativas entre a visão da Chassidut e a dos cientistas. O cientista via um universo mecânico. O Rebe via, um caloroso e sensível universo com um coração batendo.

A visão da Chassidut sobre a criação lança nova luz sobre o fenômeno de milagres. O Rebe ressaltou que os acontecimentos milagrosos descritos na Torá são D'us fazendo o que Ele sempre faz, variando apenas a rotina.

Por exemplo, D'us geralmente diz à água que flua para baixo, uma instrução tão familiar que nós a chamamos de lei natural. Então, um dia, em algum lugar no Sinai, D'us disse à água para ficar parada: a água comportou-se como um muro à sua direita e à sua esquerda. Esta instrução acontece tão raramente que algumas pessoas chamam-na de uma violação da lei natural, e outros chamam-na de um milagre. Na verdade, tanto parada quanto fluindo para baixo são milagres.

O Talmud conta a história do sábio, Rabi Chanina Ben Dosa, que chegou em casa uma noite, sexta-feira, justo quando o sol estava se pondo. Como sempre às sextas-feiras, ele encontrou a mesa posta e sua filha preparando-se para acender as velas do Shabat. Mas algo estava errado.

"Por que você parece tão infeliz?", perguntou.

Ela respondeu que tinha acidentalmente adicionado vinagre ao óleo nas velas de Shabat. "O vinagre irá certamente apagar as chamas", disse ela.

"Aquele que diz ao óleo para queimar, dirá ao vinagre para queimar", seu pai respondeu.

Naquela noite de Shabat, vinagre queimou.

Foi um milagre? Assumimos que o óleo queima por causa de suas propriedades químicas, ou seja, "eu não sei por quê, isso é apenas como ele é." Embora possamos ver a queima de óleo, não há nenhuma razão por que o óleo deva queimar. O Rebe, um místico, mas também um homem de ciência, disse que o óleo queima porque D'us assim diz para ele.

O mesmo é verdadeiro para todas as leis naturais. Sabemos que a aspirina alivia uma dor de cabeça e podemos até saber como ela faz o trabalho. No entanto, nós nunca saberemos o porquê. O Curador de toda a carne instrui aspirina para subjugar a dor, geralmente. E, geralmente, Ele diz para a água que flua para baixo e ao óleo para queimar. É tudo a mesma coisa para eles.

 

Comentários sobre: Qual é a participação de D'us no meu dia-a-dia?
Não há comentários.