Want to keep in the loop on the latest happenings at Beit Lubavitch Rio De Janeiro. Subscribe to our mailing list below. We'll send you information that is fresh, relevant, and important to you and our local community.
Impresso de BeitLubavitchRio.org

O Rabino e o Ladrão

Quarta-feira, 14 Setembro, 2016 - 17:53

 

História

O Rabino e o ladrão

Meu tio-avô, Reb Mendel Futerfas, de abençoada memória, foi um dos heróis notáveis ​​que sobreviveram aos Gulags de Stalin. Depois de muitos anos de trabalho forçado como punição por seu "crime" de ajudar a fortalecer a vida Judaica na União Soviética, ele foi finalmente capaz de deixar a Rússia e se reunir com sua esposa e filhos, que tinham escapado anos antes e estavam vivendo em Londres. Mais tarde, ele foi nomeado pelo Rebe para servir como rosh mashpia (mentor espiritual principal) na yeshivá Lubavitch de Kfar Chabad, Israel.1.jpg

Muitas vezes ele se sentava com seus companheiros chassidim e estudantes, e recordava suas experiências na prisão e as lições que ele aprendeu delas                 .

 

Recentemente, ouvi o meu sogro, o rabino Hirsch Chitrik, recontar a seguinte história que ele ouviu de Reb Mendel.

Uma das atividades proibidas no Gulag era o jogo de cartas. Ele era considerado um crime grave e dura punição era imposta se alguém era pego violando esta regra da prisão.

De alguma forma, os presos conseguiram contrabandear um baralho de cartas, e passavam o seu tempo livre com o jogo proibido.

Os guardas foram informados sobre a brecha, e vieram inspecionar os quartos dos prisioneiros. Eles não encontraram nada.

Com o passar das semanas ­‑ e com os jogos continuando ‑, os guardas ficaram confusos. Eles se perguntavam: “serão esses prisioneiros grosseiros realmente mais espertos do que nós?”

Eles finalmente decidiram colocar um fim a esta afronta à sua autoridade e orgulho, e realizaram uma inspeção de surpresa, verificando cada centímetro do quartel, bem como os corpos e roupas dos detentos.

Eles não encontraram nada.

Eles chegaram à conclusão de que o informante havia mentido para eles, quer para agradar aos seus olhos ou para fazer uma piada com eles.

Assim que os inspetores saíram, as cartas apareceram e os jogos continuaram, como de costume.

Reb Mendel não conseguia entender como isso acontecera: os inspetores haviam verificado cada possível esconderijo.

Finalmente, revelaram a ele o segredo.

"Você vê," o ladrão chefe começou, "somos batedores de carteira profissionais. Assim que os guardas entram na prisão, nós escorregamos as cartas em seus bolsos. Logo antes de partirem daqui, nós deslizamos as cartas novamente para fora. Obviamente, nunca ocorreu aos guardas para verificar seus próprios bolsos. . . "

A lição é clara.

Se você quer fazer uma avaliação exata da realidade, comece sua busca por verificar seus próprios bolsos.

Muitas vezes, quando fazemos nosso inventário pessoal e espiritual, nós instintivamente procuramos colocar a culpa naqueles  que nos cercam: "Meus pais são responsáveis", "minha esposa é responsável", "minha educação é responsável", etc Todo mundo é culpado, exceto a si mesmo. Essa é uma maneira mais fácil e menos dolorosa para fazer as coisas, mas não é eficaz no longo prazo. A fim de realmente colocar sua vida em ordem, você não deve ignorar os seus próprios "bolsos".

Lembre-se:

Toda vez que você apontar um dedo para alguém, você tem três dedos apontando para trás, para você mesmo!

 

Comentários sobre: O Rabino e o Ladrão
Não há comentários.