Want to keep in the loop on the latest happenings at Beit Lubavitch Rio De Janeiro. Subscribe to our mailing list below. We'll send you information that is fresh, relevant, and important to you and our local community.
Impresso de BeitLubavitchRio.org

14 fatos sobre o estudo diário do Rambam

Sexta-feira, 09 Agosto, 2019 - 10:22

 

14 Fatos sobre o Estudo Diário de Rambam

Yehuda Altein

QFjX10982928.jpg

Nesta semana, milhares de comunidades e inúmeros indivíduos no mundo todo concluíram - e estão começando hoje de novo - o estudo anual do Mishnê Torá de 14 volumes de Maimônides. Em conjunto com este marco, apresentamos 14 fatos sobre este trabalho fundamental da lei judaica e o ciclo de estudo anual.

1. O Rambam É Estudado Diariamente pelos Judeus no Mundo Todo

O rabino Moshé ben Maimon (1135-1204), conhecido no mundo judaico pela sigla “Rambam” e pelo mundo em geral como “Maimônides”, é uma das figuras mais importantes da história da erudição de Torá. Sua magnum opus é seu Mishnê Torá, uma codificação sistemática da lei judaica.

O Rebe, Rabino Menachem Mendel Schneerson, de abençoada memória, solicitou uma adição revolucionária aos estudos centrais do povo judeu em todo o mundo. Ele pediu que todo judeu estudasse uma porção do Mishnê Torá diariamente — uma sugestão que foi, desde então, adotada por pessoas de todo o mundo.

Leia: Maimônides: Sua vida e Obras

2. É o Único Livro a Cobrir Toda a Lei Judaica

Em toda a literatura sobre a Torá que se seguiu à Bíblia, não há uma única obra que englobe a totalidade da lei judaica. A única exceção é o Mishnê Torá do Rambam.

O Rambam foi o primeiro a indexar todo o corpo da Lei Oral e compilá-lo de maneira lógica e sistemática. Ele até incluiu leis que só serão relevantes na Era Messiânica, como o Ano do Jubileu e o serviço do Templo. Até hoje, o Mishnê Torá continua sendo o único trabalho com esse escopo.

Seguindo o ciclo diário do Rambam, todo indivíduo tem a capacidade de estudar todo o corpo da Lei Judaica, uma meta que estaria fora de alcance para a maioria.

Leia: Uma Nova Época no Aprendizado de Torá

3. Contribui Para a Unidade Judaica

O Rebe explicou que um dos principais elementos no estudo do Mishnê Torá é a unificação dos judeus. Quando todos estudam o mesmo material no mesmo dia, seu aprendizado é unido através dos continentes, e assim alcança uma unidade composta de toda a amplitude da Torá, aprendida por todo o espectro do povo judeu. Além disso, quando diferentes pessoas estudam o mesmo tópico, elas vão discutir e debater, aproximando-as umas das outras.

Assista: Rambam e a Unidade Judaica

 

Traduções modernas e uma série de publicações online e impressas tornaram o estudo diário do Mishnê Torá uma meta atingível para praticamente qualquer pessoa.

4. Existem Três Programas de Estudo Alternativos

O Rebe sugeriu três programas de estudo possíveis, para atender às circunstâncias e capacidades específicas de todo homem, mulher e criança judeus:

1.    Aqueles capazes seguem um cronograma de três capítulos por dia, que completa o Mishnê Torá em pouco menos de um ano.

2.    Para aqueles que não conseguem estudar três capítulos todos os dias, o Rebe sugeriu um caminho paralelo a um ritmo mais moderado de um capítulo por dia, que dura quase três anos.

3.    Para aqueles que acham até isso muito difícil, o Rebe instituiu ainda um terceiro caminho. Paralelamente ao regime de três capítulos por dia, aprendendo diariamente sobre os mesmos mandamentos sendo estudados em detalhe, este explora o significativamente mais curto Sefer Hamitsvot (“Livro dos Mandamentos”) do Rambam, concluindo todas as 613 mitsvot a cada ano.

Leia: Aprendendo Rambam Diário

5. Tem Quatorze Partes

O Mishnê Torá é dividido em quatorze livros, cada um subdividido em numerosas seções, capítulos e leis.

Aqui está uma lista dos quatorze livros e seu conteúdo:

1. Sefer Madá, o Livro do Conhecimento. Inclui os princípios básicos da religião judaica que se deve conhecer desde o início, como a unidade de D'us e a proibição da idolatria.

2. Sefer Ahavá, o Livro do Amor de D’us. Mandamentos que são feitos frequentemente, para que possamos sempre amar a D'us e nos lembrarmos d’Ele constantemente, como recitar o Shemaoraçãotefillinbênçãos, e circuncisão.

3. Sefer Zemanim, o Livro dos Tempos. Mandamentos que são feitos em épocas fixas do ano, como o Shabat e os feriados.

4. Sefer Nashim, o Livro das Mulheres. Leis associadas a relações conjugais, como casamento e divórcio.

5. Sefer Kedushá, o Livro da Santidade. Leis de relações proibidas e comidas proibidas, com as quais D'us santificou o Povo Judeu e o separou das nações.

6. Sefer Hafla'á, o Livro das Promessas. Leis relativas a juramentos e votos.

7. Sefer Zeraim, o Livro das Sementes. Leis relacionadas à agricultura, como o Ano Sabático e dízimos.

8. Sefer Avodá, o Livro do Serviço. Leis relativas à construção do Templo Sagrado e sacrifícios públicos.

9. Sefer Korbanot, o Livro dos Sacrifícios. Leis relativas a sacrifícios individuais.

10. Sefer Tahará, o Livro da Pureza Ritual. Leis relativas à pureza e impureza ritual.

11. Sefer Nezikim, o Livro das Lesões. Leis associadas a relações civis em que há prejuízo para qualquer propriedade ou pessoa.

12. Sefer Kinyan, o Livro de Aquisição. Leis relacionadas a vendas e compras.

13. Sefer Mishpatim, o Livro dos Julgamentos. Leis associadas a outras relações civis que não envolvem danos, como depósitos, dívidas, reclamações e recusas.

14. Sefer Shoftim, o Livro dos Juízes. Leis delegadas ao tribunal judaico, como administrar punição e colher testemunho, e leis relacionadas ao rei e suas guerras. Incluem-se também as leis de Mashiach e da Era Messiânica.

6. Está Sendo Iniciado pela 39ª Vez

O Rebe iniciou o estudo diário de Rambam na primavera de 1984. O Rambam já foi estudado por homens, mulheres e crianças de todo o espectro da observância judaica. Os participantes estão atualmente concluindo o 38º ciclo e imediatamente continuando com o 39º.

7. Conclusão do Ciclo Celebrado Anualmente

Todos os anos celebram-se eventos especiais de conclusão (siyum), reconhecendo e celebrando a conquista daqueles que estudaram ao longo do ano passado. Os eventos de Siyum HaRambam acontecem anualmente em vários locais do mundo.

O Rebe realizava a conclusão anual, dando exposições detalhadas sobre o capítulo final do trabalho do Rambam, ligando-o ao primeiro capítulo.

8. Celebrações em Tiberíades, Fez e Cairo

Entre os numerosos locais onde as celebrações são realizadas, deve ser feita menção especial àqueles lugares associados ao próprio Rambam. Em Israel, grandes eventos públicos são realizados anualmente no local de descanso do Rambam em Tiberíades. Celebrações também são realizadas em Fez, Marrocos, onde o Rambam viveu depois de escapar com sua família da Espanha, bem como no Cairo, Egito, onde escreveu o Mishnê Torá.

Leia: Maimônides e os Portões da Cidade

 It has become a tradition for Moroccan Jews to travel to Fez to celebrate the conclusion of Mishneh Torah near the home of the great scholar, who lived in the city for some time. This group photo is from 2009. (credit: Chabad of Morocco)

Tornou-se uma tradição para os judeus marroquinos viajarem a Fez para celebrar a conclusão do Mishnê Torá perto da casa do grande erudito, que viveu na cidade por algum tempo. Esta foto do grupo é de 2009. (crédito: Chabad de Marrocos)

9. Tem Três Nomes

O Rambam nomeou sua obra Mishnê Torá (lit., “repetindo a Torá” ou “estudo [de toda] a Torá”). Em sua introdução ao livro, ele explica a razão desse nome: “Uma pessoa poderá estudar a Lei Escrita e depois estudar este texto e compreender toda a Lei Oral, sem precisar estudar qualquer outro texto entre eles. "

O trabalho também é referido como o Yad HaChazaká (lit., "A Mão Forte", ecoando as palavras de Êxodo 6:1). É assim chamado porque a palavra hebraica para mão - יד - é numericamente equivalente a 14, o número de livros no Mishnê Torá.

O método mais comum de se referir ao livro é simplesmente como “o Rambam”, seguindo o nome de seu autor. A palavra Rambam em si é um acrônimo (em hebraico) para R. Moshé ben Maimon, Moisés, filho de Maimon.

Leia: O que é a “Torá Oral”?

10. É a Única Obra em Hebraico do Rambam

O Rambam é autor de muitos outros trabalhos, mais notavelmente seu Comentário sobre o Mishná, Sefer Hamitsvot e Moré Nevuchim (Guia para os Perplexos). No entanto, todas as suas outras obras foram originalmente escritas em judaico-árabe (a língua das massas na Península Ibérica e Norte da África, onde o Rambam viveu), e foram posteriormente traduzidas por outros para o hebraico e outras línguas. O Mishnê Torá é o único trabalho do Rambam que ele mesmo escreveu em hebraico.

Leia: 7 Clássicos Judaicos originalmente escritos em árabe

 A page from an early draft of Maimonides's “Guide for the Perplexed,” written in Judeo-Arabic

Uma página de um rascunho do “Guia para os Perplexos” de Maimônides, escrito em judaico-árabe

11. Centenas de Comentários Foram Escritos sobre Ele

Centenas de comentadores elucidaram o texto do Mishnê Torá, começando com os contemporâneos de Rambam (alguns dos quais escreveram comentários críticos para refutar algumas de suas decisões). De fato, os comentários sobre Mishnê Torá continuam a ser escritos até hoje, revelando as profundezas infinitas de suas palavras.

12. Incorpora Filosofia, Saúde e Astronomia e Muito Mais

O trabalho do Rambam abrange uma ampla gama de tópicos, além do que se pode naturalmente supor que se relaciona com a lei judaica. A primeira seção do Mishnê Torá apresenta os fundamentos do pensamento e crença judaicos, como a unidade de D'us e a liberdade de escolha. Há um capítulo com orientação sobre como manter um estilo de vida saudável, ensinando-nos que todas as nossas ações devem ser permeadas de santidade e Divindade. O Rambam também explica detalhadamente os cálculos astronômicos usados ​​para determinar a aparição da lua nova, que serve de base para o Calendário Judaico.

Leia: Filósofo e Místico, Médico e Autor Médico

13. Conclui com as Leis de Mashiach

Entre as distinções do Mishnê Torá está que esta obra se encerra com dois capítulos descrevendo a personalidade de Mashiach, sua vinda e como será a vida após sua chegada.

O Rambam conclui o capítulo final com estas palavras:

Nessa época, não haverá fome nem guerra, inveja ou competição, pois a boa vontade fluirá em abundância e todas as delícias estarão disponíveis gratuitamente como poeira. A ocupação do mundo inteiro será apenas em conhecer D’us. Portanto, os judeus serão grandes sábios e conhecerão os assuntos ocultos, compreendendo o conhecimento de seu Criador de acordo com toda a extensão do potencial humano, como Isaías 11:9 afirma: “O mundo se encherá do conhecimento de D'us como as águas cobrem o leito do oceano.”

Assista: Maimônides e Mashiach

14. Você Pode Se Juntar Hoje

Una-se às muitas pessoas que dominaram “toda a Torá” estudando o Mishnê Torá. Agora é a hora perfeita para começar. Junte-se ao programa diário do Rambam hoje!

 From homes to synagogues to vast arenas like the one above in Israel, gatherings around the world mark the completion of the annual study of Maimonides’ Mishneh Torah. (File photo)

De lares a sinagogas a vastas arenas como acima em Israel, reuniões em todo o mundo marcam a conclusão do estudo anual do Mishnê Torá de Maimônides. (Foto do arquivo)

Por Yehuda Altein

Rabino Yehuda Altein é escritor, tradutor e editor especializado em assuntos judaicos e material familiar manuscrito. Um ex-pesquisador do Instituto de Pesquisa Machon Shmuel da JLI, ele escreveu sobre História Judaica, exegese das escrituras, halachá e chassidut. Yehuda reside em Brooklyn, Nova York, com sua família e gosta de colecionar antiguidades judaicas e explorar a história natural na Torá. Ele pode ser contatado em yaltein.writing@gmail.com.

Mas de Yehuda Altein  |  RSS

© Copyright, todos os direitos reservados. Se você gostou deste artigo, nós o encorajamos a distribuí-lo ainda mais, desde que você esteja em conformidade com a política de direitos autorais do Chabad.org.

Comentários sobre: 14 fatos sobre o estudo diário do Rambam
Não há comentários.